Procurar
Close this search box.

Umbelina Barros

Umbelina dos Santos Barros

Umbelina Barros tem a sua oficina numa zona muito marcante do passado caldense: “Águas Santas”. É este o lugar onde, doentes menos abonados com problemas de pele como “pano dos bebés” e psoríase, iam aos tratamentos termais.

Umbelina nasce a 06/03/1974, em Miaux, Seine-et-Marne, França. Vem para Portugal, mais propriamente para as Caldas da Rainha, por volta dos seus 4/5 anos. As suas primeiras experiências cerâmicas vive-as, como aluna do 5º ano, na Escola D. João II, onde teve aulas de “Cerâmica e Desenho” com o Prof. Antonino Mendes.

Continua a sua formação no CENCAL onde frequenta as aulas de “Olaria” e “Cerâmica Criativa”que termina em 1998. Prossegue a sua aprendizagem na ESAD, onde faz a licenciatura em “Artes Plásticas e Novos Media” e o mestrado em “Artes Plásticas. É doutoranda em “Educação Artística” na FBAUP, no Porto.

Criou a sua oficina em 1998, onde permanece.

Cada peça saída das mãos de Umbelina é uma peça única visto que se dedica essencialmente à cerâmica artística, unindo, em muitos casos, o funcional ao estético. A artista confessa que a sua obra passa por diferentes fases, dependentes da sua momentânea vivência e da sua imaginação.

Numa determinada fase dedica-se à roda; numa experiência saudosista, produz peças utilitárias em barro vermelho, que posteriormente vidra com escorridos tradicionais, de influência caldense.

Numa determinada altura do seu percurso, desconstrói o corpo humano, conferindo-lhe novas formas. Notemos as suas mulheres a preto e branco, feitas em raku, obras de uma fase que, por curiosidade, coincide como tempo do pós parto. Também nestas peças utiliza a roda, um instrumento da sua eleição e com o qual se sente confortável a trabalhar.

Os materiais que usa variam conforme os seus projectos e a posterior localização ou função da peça. Muita polémica levantou, há uns anos, um falo com 2,47 metros que fez com o propósito de se tornar numa obra pública e que, depois de muita polémica e de muitas andanças, acabou por ficar num jardim privado do Éden (Buda Parque), no Bombarral.

É autora de uma outra obra pública apelidada de “Fontanário da Imperatriz”, produto da parceria com S. Amaro, Brasil, cidade geminada com Caldas da Rainha.

Umbelina Barros vende as suas obras na oficina e pela internet. Curiosamente, 80% dos seus clientes são estrangeiros, mesmo vivendo entre nós.